O milho é considerado uma excelente fonte de energia por conter alto teor de carboidratos. Possui também boa quantidade de vitamina A, B1 e sais minerais, além de ser um alimento de fácil digestão. O milho verde é a matéria prima de diversas receitas que caíram no gosto popular, como a pamonha e o mingau. Como são produtos de alta aceitação, e o consumidor moderno tende a preferir produtos processados, o investimento na produção e comercialização dessas guloseimas constitui em uma ótima fonte de renda familiar.

processamento_milho_verde

O segredo da qualidade dos produtos processados é a escolha de ingredientes de qualidade. Fique atento à validade, pureza e origem dos ingredientes. O milho verde deve apresentar palhas verdes, não secas e cabelos marrom escuro. No caso do milho descascado, a ponta inferior da espiga deve ser macia e afilada.

A massa de milho verde obtida pela ralação das espigas, realizada no Ralador Industrial de Milho BM91 C/NR12 Bivolt Bermar, tem pouco tempo de vida útil antes do cozimento. Por isso deve ser cozida em no máximo duas horas e meia após o preparo quando começará a fermentar. Guardá-la em refrigeração não aumenta sua vida útil.

A unidade de processamento deve ser instalada em locais isento de odores indesejáveis, fumaça, pó e todos os tipos de poluentes, além de ter autorização do Serviço de Meio Ambiente Municipal em relação ao lixo e qualidade da água. A construção deve ser feita de maneira que facilite a limpeza e evite os insetos e outros animais. As condições climáticas como o vento e a chuva não devem prejudicar o trabalho. Os recipientes de lixo devem ser exclusivos para esse fim e distribuídos de forma conveniente. Sempre limpos e tampados com um saco de lixo em seu interior. Os esvaziamentos devem acontecer, de preferência, mais de uma vez ao dia. Sempre que possível, pratique a coleta seletiva do lixo.

Produção, custo e preço:

Os alimentos, depois de processados, devem ser bem embalados. A principal finalidade das embalagens é proteger os produtos da deterioração desde o seu acondicionamento até o consumo final e, por isso, eles devem ser devidamente embalados. Dessa forma, os alimentos mantêm suas características próprias por um bom período de tempo. A embalagem escolhida deve ser de material que permita a transmissão de odores e sabores indesejados. Quando utilizar embalagens plásticas, aspectos como toxicidade, odor, permeabilidade e umidade devem ser considerados. As embalagens devem ser escolhidas de forma criteriosa e só sendo aceita as que são registradas no Ministério da Saúde.

Depois do alimento processado e embalado é preciso fazer o cálculo do custo de produção para que se determine o preço do produto final. Esse cálculo deve envolver, primeiramente, o custo com a matéria-prima – as que são adquiridas da própria propriedade devem ser lançadas com o preço pago ao produtor e as adquiridas do comércio devem ter o preço de mercado. Além disso, deve ser inserido o custo com mão-de-obra, energia, combustível, gás e água. Depois de achar a variável entre os itens acima, será presumido o lucro.

O cálculo para o preço de venda deve ser feito baseada nesta equação: Preço de venda = valor da matéria-prima + custo de mão-de-obra, energia, gás… + lucro + ICMS.

O Ralador Industrial de Milho BM91 C/NR12 Bivolt Bermar, com capacidade para produção aproximada de 130 quilos por hora, é bivolt e possui dispositivo de segurança.

Ofertas válidas somente para a data da publicação. Data: 27 de abril de 2015.