Comentários [0]

Quem vai abrir uma empresa usando apenas recursos próprios, sem contar com empréstimos ou investidores, precisa saber muito bem o que fazer com esse dinheiro. Nesse cenário, qualquer erro pode ameaçar não só o caixa mas também os planos de crescimento.

shutterstock_2195902181

Esse caminho não é nada fácil, alerta o empreendedor Ilya Pozin, fundador da Ciplex, agência digital norte-americana voltada a startups e pequenas empresas. Em um artigo publicado no site da revista Inc, ele indica os sete passos para dar a largada gastando o mínimo possível e minimizar os riscos dessa estratégia.

1) Valide sua ideia

Como você sabe que sua ideia de negócio é boa? Não adianta perguntar a amigos e parentes, pois eles nem sempre terão uma resposta verdadeira. A melhor maneira de validar sua proposta é pedir a opinião de quem não vai ganhar nem perder com sua empresa: potenciais clientes ou empresários mais experientes.

2) Procure um mentor

Não peça conselhos a quem só vai reafirmar suas ideias, e sim a pessoas que o desafiem e façam com que você defenda melhor seus argumentos e decisões. Melhor ainda se for um profissional que atue na mesma área de sua futura empresa. O empreendedor pode até não gostar do que vai ouvir, mas deve levar essas ponderações a sério e continuar escutando os feedbacks.

3) Seja obcecado por clientes

Quem é meu cliente? Onde ele está e como posso chegar até ele? Essas são as primeiras perguntas que o empreendedor precisa responder. Para isso, deve reservar metade de seu tempo – a outra metade deve ser dedicada a criar um produto ou serviço que supere a expectativa das pessoas. Assim, os primeiros clientes serão sua referência, seu estudo de caso e, melhor de tudo, vão gerar mais negócios.

4) Reinvista tudo no negócio

Quando Pozin fundou sua empresa, gastou mais dinheiro do que recebeu – tudo em nome de criar algo que superasse a expectativa dos clientes. “Não ficava com nenhum dinheiro para mim”, recorda. “Quem foca em lucratividade muito cedo acaba desenvolvendo um produto medíocre, e isso não vai gerar novos negócios. Daí, o empresário vai precisar gastar todo o lucro que recebeu para prospectar outras oportunidades.”

5) Otimize a busca de pessoas

Em vez de adotar uma cara estratégia de marketing, busque maneiras mais econômicas de prospectar clientes. Será necessário gastar mais tempo nessa atividade para separar o joio do trigo, mas é melhor do que arriscar comprometer uma grande soma com ações que não se sabe se serão efetivas. O mesmo se aplica às contratações. Não se apresse para contratar funcionários em tempo integral. Trabalhe com temporários e terceirize algumas funções, desde que os termos de pagamento sejam compatíveis com os prazos para receber dos clientes.

6) Comece o marketing cedo

Muitos empreendedores iniciantes gastam todo o tempo e o dinheiro na concepção e no lançamento de seu produto, mas, quando chega a hora de anunciar a novidade, se veem sem recursos. Logo no começo, pesquise meios efetivos e baratos para chegar ao consumidor e reinvista os lucros em marketing – quanto mais, melhor. Vale a pena começar a fazer ações mesmo antes de o produto estar pronto.

7) Encontre um sócio

Começar uma empresa por conta própria é difícil. E é muito pior quando não se dispõe de muito dinheiro. Por isso, encontre um bom sócio que compartilhe de sua paixão pelo produto ou serviço – mas não necessariamente uma pessoa que seja igualzinha a você.

3041029_z Impressora Térmica de Código de Barra GC420 Zebra
Por: R$ 1.099,00 à vista
ou 10x de R$ 109,90 iguais sem juros
Pagamento no Boleto: R$ 1.044,05 à vista

Fonte: revistapegn.globo.com

Confira outros produtos no nosso site: www.catral.com.br.
Zé Catral

Foto: Divulgação.

Ofertas válidas somente para a data da publicação. Data: 22 de janeiro de 2015.

Comentários [0]

Tem um pequeno negócio e quer aumentar as suas vendas e melhorar em todos os aspectos, para fazer a sua empresa crescer? A Catral trouxe várias dicas do Augusto Figueiredo, presidente no Brasil da consultoria LHH|DBM na América Latina e do Renê Jose Rodrigues Fernandes, gerente de Projetos do Centro de Empreendedorismo e Novos Negócios (GVcenn) da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getulio Vargas (FGV-EAESP). Confira!

 

business people

 

Faça um Plano de Negócios. Contrate profissionais para te ajudar a ter informações sobre o mercado, finanças e operações e monte esse documento, revisando sempre que necessário, para que seja usado como base para decisões estratégicas.

 

Delegue responsabilidades. Reflita sobre como você faz a gestão da sua equipe de funcionários e não confunda competência com confiança.

 

Deixe as contas da empresa separadas das suas finanças pessoais. Aliás, separe bem as questões pessoais das profissionais, em todos os sentidos.

 

Procure ajuda especializada. Deixe as questões jurídicas e contábeis para quem realmente entende do assunto.

 

Crie um conselho de administração. Muitas vezes, não é interessante que o dono tome todas as decisões sozinho. Com outros profissionais ajudando, o empresário poderá agregar uma visão mais abrangente do mercado e terá menos chances de errar.

 

Gostou das dicas? Se quiser ter uma empresa mais moderna e especializada, aproveite a gama de equipamentos da Catral. Temos tudo para o seu negócio! www.catral.com.br

Zé Catral
Fonte: Revista Exame.

Foto: Divulgação

Ofertas válidas somente para a data da publicação. Data: 20 de maio de 2013.

Comentários [0]

Os restaurantes espanhóis estão sempre no topo das listas de melhores restaurantes do mundo. Entre os nacionais, podemos citar o D.O.M., especializado em comida espanhola, e o renomado  El Celler de Can Roca, localizado em São Paulo. Aliás, a capital, famosa por sua diversidade gastronômica, está ficando cada vez mais com sabor espanhol. É possível encontrar com certa facilidade um restaurante espanhol.

Podemos dizer que os restaurantes espanhóis estão na moda, e São Paulo nos dá inúmeras opções de estilo. Comer a tradicional paella pode sair, dependendo do restaurante, por até R$ 11. Que tal incluir alguns pratos típicos no cardápio do seu restaurante? Dos tradicionais aos estilizados, eles podem ser o diferencial do seu restaurante.

As famosas tapas não podem faltar, assim como a paella. Sardela, horchata, huevos, pisto manchego, gaspacho, bacalhau e zarzuela são apenas algumas das opções dentre as quais você pode incluir no seu menu e fazer a alegria de seus clientes.

Seguir essa tendência paulista pode te render muitos frutos, afinal pratos hispânicos te ajudam a lucrar e fidelizar ainda mais clientes. Invista e fature.

 
Zé Catral
 
Fonte: Perfecta.
Foto: Divulgação.

Ofertas válidas somente para a data da publicação. Data: 27 de setembro de 2012.

Busca
Mais consultados
Conheça o nosso site
Vídeos
Curta nossa Fanpage
Siga-nos no Twitter
Ofertas exclusivas por e-mail