Comentários [0]

Por incrível que pareça, vender espetinho na rua se tornou uma profissão não só nas cidades pequenas, esse feito também ganhou as grandes cidades e muitas pessoas fazem desse simples negócio sua principal e única fonte de renda. Mas o que você irá precisar, além de disposição, para investir nesse negócio?

Naturalmente existem inúmeros exemplos de pessoas que deixaram um emprego fixo para se dedicar somente à venda de espetinhos em um local de grande fluxo de pessoas e que pudesse agregar valor para esse simples negócio.

 shutterstock_99288491

Como vender espetinhos?

O local é o ponto chave para quem trabalha com a venda de espetinhos na rua. Portanto se você quer ver seu negócio crescer com mais rapidez, terá que trabalhar em um local de fácil acesso e que seja bastante movimentado. O ideal é trabalhar em praças, ruas ou avenidas movimentadas ou até mesmo na porta de sua casa. Principalmente aos finais de semana as vendas costumam ser muito melhores, então foque nesses dias para vender ainda mais.

Ter um diferencial onde você irá vender seus produtos também pode ser algo que cative ainda mais a clientela e faça com que aquela simples barraquinha se torne um negócio extremamente lucrativo. Então, não tem como vender espetinhos sem pensar nesse ponto tão importante para quem está começando.

A venda de espetinhos é algo extremamente simples e um negócio de baixíssimo investimento, porém estamos falando da comercialização de alimentos e você precisará ter tudo isso legalizado. Então como vender espetinhos legalmente? Bom, primeiramente faça um curso de manipulação e higiene de alimentos para aprender como lidar com produtos alimentícios e em seguida procure se formalizar como um microempreendedor individual, pois essa é uma categoria excelente para quem vai trabalhar vendendo espetinhos.

Passando por isso, você deverá receber também a licença de funcionamento expedido pela vigilância sanitária para poder trabalhar com a venda de alimentos desse tipo, assim como o alvará expedido pela prefeitura municipal para atuar no local desejado. A compra da carne para produzir os espetinhos também deverá ser feita somente em locais que estejam atuando dentro da lei e depois disso você estará apto a começar seu trabalho.

Investimento para vender espetinhos

Começar esse negócio não é tão simples como se pensa e o investimento financeiro é necessário, mesmo que pretenda vender espetinhos da forma mais simples possível. Claro que você não terá gastos altos, mas necessitará de todos os acessórios de trabalho indispensáveis nesse caso:

1 ou 2 churrasqueiras;

Espetos para colocar a carne;

Carvão;

Mesa;

Isopor para produtos congelados;

Outro isopor para armazenar carnes que serão assadas;

Variados tipos de carne;

Mesas com cadeira para os clientes;

Acessórios básicos e muito mais.

Além disso, certamente você terá alguns gastos que não farão parte necessariamente da venda de espetinhos, mas será um auxílio, como é o caso de um veículo apropriado para o transporte de todos os equipamentos.

A verdade é que não existe nenhum mistério para trabalhar com a venda desses produtos, basta colocar o que você aprendeu em prática que a tendência é ter um negócio muito bem sucedido. Para melhorar ainda mais, veja algumas dicas que lhe ajudarão a vender ainda mais espetinhos com sucesso:

Tenha um diferencial – O que muitos investidores nesse ramo vêm fazendo é apostando em diferenciais no local onde trabalham, como um cantor ao vivo, um parquinho de diversão para os filhos dos clientes ou mesmo promoção em algum dia da semana.

Venda diversos tipos de espetinhos – Para obter sucesso, você deverá ter um cardápio diversificado e poderá vender espetinhos de diversos tipos. Além disso, vale a pena vender refrigerantes e a tradicional cerveja que não pode faltar em um ponto de espetinho.

Fidelize seus clientes – Quem compra uma vez precisa gostar dos seus espetinhos para voltar sempre e isso é algo que você precisará fazer, pois quanto mais clientes fiéis você tiver, maior será o seu nível de vendas. Então procure fazer amizade com todos e ofereça sempre os melhores produtos possíveis.

Vender espetinhos dá dinheiro?

Mesmo a carne não estando com um preço muito agradável ao bolso do consumidor, esse é um tipo de negócio que costuma trazer bons resultados, principalmente quando se associa a venda de bebidas no local. Vale lembrar que ter um produto de qualidade e oferecer variedades aos clientes é fundamental para o crescimento do mesmo, mas falando de um modo geral tem como vender espetinhos e obter um lucro muito bom sim, basta você se dedicar de verdade ao negócio.

Existem pessoas que vivem apenas da venda de espetinhos na rua e conseguem uma boa renda mensal, porém não significa que o seu negócio também será um sucesso, é importante analisar bem e definir se é isso mesmo que você quer. O preço de cada espetinho pode variar muito e em um bom ponto de trabalho é possível vender de 100 a 150 espetinhos por dia. Portanto, é algo que gera um bom lucro e não é atoa que diversas pessoas vêm apostando cada vez mais nesse tipo de produto para trabalhar atualmente.

Screenshot_3 Churrasqueira Esmaltada para Espetinhos Apolo
Por: R$ 599,00 à vista
ou 10x de R$ 59,90 iguais sem juros
Pagamento no Boleto: R$ 569,05 à vista

Fonte: montarumnegocio.com.

Confira outros produtos no nosso site: www.catral.com.br.
Zé Catral

Foto: Divulgação.

Ofertas válidas somente para a data da publicação. Data: 29 de maio de 2014.

Comentários [0]

Você sabia que vender algodão-doce pode ser bastante rentável? Pois bem, muitas pessoas nem imaginam que aquele simples doce seja capaz de gerar renda para quem trabalha nas ruas da cidade. No entanto, o lucro ao trabalhar com esse tipo de produto só será melhor e maior se você aprender como preparar em casa com os equipamentos próprios.

 shutterstock_101438566

Por mais que muitas pessoas não acreditem que vender algodão-doce seja rentável, o motivo principal para o lucro gerado por esse produto é, simplesmente, porque se trata de algo que gera uma certa fantasia para o público infantil e é quase impossível encontrar uma criança que não sonha com esse doce. Sabendo disso, os vendedores de algodão-doce focam muito nas crianças e, justamente, por isso o algodão doce é tão vendido na maioria das cidades.

Além disso, fazer algodão-doce não requer um investimento muito alto, além do gasto para produzir cada algodão-doce ser extremamente baixo, fazendo com que a venda de algodão-doce se torne uma atividade simples e lucrativa.

A primeira ação para lucrar de verdade com a venda de algodão-doce é comprar seus próprios equipamentos para vender por conta própria. Existem duas possibilidades, uma é comprar somente a máquina para fazer algodão-doce, produzir em casa e sair pelas ruas vendendo; outra opção seria investir em um negócio mais interessante para trabalhar pelas ruas, podendo investir também na compra de um carrinho para vender algodão-doce. Com esse equipamento será possível vender bastante pelas ruas e o grande diferencial é que seus produtos serão feitos na hora, chamando assim mais atenção das pessoas que passam pelo local.

Vender algodão-doce é rentável, mas você precisa planejar muito bem os gastos e os lucros que poderá ter com esse negócio. A verdade é que não dá para dizer por alto quanto você poderá faturar ao começar vender seus próprios doces. Tem vendedores que conseguem vender muito mais de 100 algodões-doces por dia. Dessa forma, o lucro acaba sendo muito interessante e se você focar em parques de diversões, portas de escolas e participar de eventos na sua cidade. Então, vender algodão-doce é rentável, mas também requer um pouco de trabalho para conseguir atingir os melhores resultados nesse ramo.

Screenshot_2 Máquina de Algodão Doce Inox C/IN Braesi
Por: R$ 949,00 à vista
ou 10x de R$ 94,90 iguais sem juros
Pagamento no Boleto: R$ 901,55 à vista

Fonte: montarumnegocio.com.

Confira outros produtos no nosso site: www.catral.com.br.
Zé Catral

Foto: Divulgação.

Ofertas válidas somente para a data da publicação. Data: 27 de maio de 2014.

Comentários [0]

O seguimento de alimentação é sempre uma forma de investimento rentável no Brasil. O consumo de alimentos de forma supérflua é crescente e por isso lanchonetes, restaurantes, docerias, sorveterias e demais pontos comerciais são uma boa forma de investir dinheiro. E uma dessas formas é montando uma creperia.

 shutterstock_186016382

O crepe pode ser feito de grãos como arroz, trigo, milho e diversas combinações de massas, doces e salgados. Como é uma massa com recheio não é um produto que exija uma determinada estação do ano para ser mais consumido, vende bem o ano todo. Uma creperia pode ainda servir a seus clientes misturas variadas do alimento, podendo ser doce ou salgado, frio ou quente, em diferentes tamanhos, enrolados ou dobrados, colocados no palito, com recheios pastosos, cremosos, picados, cremosos ou demais que preferir.

Mercado de creperia no Brasil

Este modelo de empreendimento se encaixa no setor de bares e restaurantes e por isso possui um horário de funcionamento tradicional entre as 16h e 1h da manhã. Tudo vai depender de como será instalada, em que local e qual o foco dos crepes e se há demais pratos a serem servidos na creperia. Uma grande vantagem do crepe é que ele pode ser consumido de manhã, à tarde ou à noite e isso só depende mesmo do empreendedor. Podemos ver uma creperia em vários locais do Brasil e com ambientes voltados para diversão, como um ponto comercial com parques para crianças, servindo doces e sobremesas, mesmo servindo crepe doce e com mesas e televisão para quem quiser até ver jogo em grande tela.

Concorrência do mercado de creperia

Creperias são até ausentes em algumas cidades, mas são seus concorrentes também bares e restaurantes por oferecerem uma refeição fora de casa. Alguns bons restaurantes já possuem em seu cardápio crepe como prato e por isso o mercado é tão concorrido. Entretanto, caso seja montada uma boa estrutura, o negócio pode driblar qualquer número de lista de restaurantes de uma cidade. Em algumas cidades, a creperia existe aos montes, por isso é preciso avaliar o mercado antes de pensar se é mesmo a melhor opção. Caso a cidade seja repleta também de bons restaurantes que já tenham o prato em seu menu, talvez não seja a melhor pedida investir em tal localidade ou mesmo em tal modelo de negócio.

Público-alvo de uma creperia

Como todo bar e restaurante, seu público é bem diversificado. Podem ser desde crianças a idosos, desde que tenham pratos que estimulem a visita de todos os citados. O ideal é que se façam combinações diversas com massas e recheios e assim estimule a visita de clientes dos mais diversos tipos, gostos e classes sociais à creperia. O que vai definir o público-alvo da creperia também será o valor do item e estrutura física. Caso tenha uma creperia com decoração sofisticada, serviços de guarda carros, pratos requintados e carta de vinhos, com certeza seu foco não é o popular da cidade. Para definir isso é preciso fazer um estudo da cidade e saber se há demanda para o público-alvo escolhido pelo empresário.

Estrutura necessária para uma creperia

Pense em uma creperia como um restaurante que você deve escolher se o ambiente vai ser mais sofisticado ou simples, mais jovem ou mais casual para definir o que vai querer como espaço, grande, pequeno ou mediano. A estrutura do estabelecimento precisa ter ao menos 50 m², com espaço que possibilite uma ampliação futura. Neste local, deve haver uma cozinha para a fabricação dos crepes, ampla e ventilada, disporem de um salão com mesas para clientes grandes e menores para grupos ou individuais, banheiros masculinos, femininos e, se possível, infantis, e uma sala administrativa.

Uma dica é montar um espaço menor, como uma lanchonete, mais jovial e livre e bem mais barato também. Para tal é preciso um balcão de atendimento com bancos, um local para fazer os crepes atrás do balcão e sem acesso dos clientes, uma pia para lavar os alimentos e um local destinado ao caixa (que pode ser na lateral), câmaras frias e estoque. Uma dica importante em qualquer tipo de estabelecimento é deixar a produção de crepes visível ao público, mostrando higiene no estabelecimento.

O maior gasto ao montar uma creperia vai ser mesmo com equipamentos. É preciso fazer a compra de uma chapa para crepe, que pode ser elétrica ou a gás, balcão de vídeo para expor os produtos, que é semelhante ao balcão de padaria, balcão copa com ou sem refrigerador, vitrines geladas (semelhantes ao balcão de vidro que podem ser usadas para sobremesas e bebidas), um freezer horizontal, geladeira, multiprocessador de alimentos, extrator de sucos industrial, liquidificador industrial, batedeira, cortador de frios, micro-ondas e fogão industrial de boa qualidade para suportar o uso constante. O gasto maior depois de comprar o material será em produtos para fazer o crepe. Os crepes básicos utilizam em sua massa farinha de trigo, leite e ovos. No entanto, a massa pode trazer também outros ingredientes, como sal, açúcar e baunilha. Para o estoque de frutas, verduras e legumes, observar a sazonalidade é uma das dicas mais importantes.

Quanto aos itens da matéria-prima, restaurantes costumam atuar com fornecedores diretos que vão lhe entregar por uma porta lateral e trazem pedidos em quantidades já predeterminadas. A compra para o estoque deve ser diária no caso de folhosos, em dias alternados com frutas e legumes, e semanal para bebidas em garrafas e latas.

Documentação necessária para uma creperia

Para fazer o registro da empresa, a melhor forma é fazer contato com um contador que é o profissional, mais capacitado para tal conhecimento. Será preciso fazer um registro na Junta Comercial, seguido da Secretaria da Receita Federal, Prefeitura e também uma licença especial da Vigilância Sanitária, por se tratar de um estabelecimento que lida com comida. O negócio deve ser limpo, organizado e possuir telas nas janelas, para evitar a entrada de insetos e outros tipos de animais. Quanto ao número de funcionários, o indicado é avaliar o tamanho da creperia.

Funcionários necessários para uma creperia

Como estamos falando de um restaurante, saiba que é preciso de ao menos dois garçons para no caso de dez mesas e o dobro proporcional a quantidade de mesas do espaço. No mais é preciso um cozinheiro, dois ajudantes de cozinha e um caixa, além de funcionários para o departamento financeiro. Claro que estamos falando aqui de uma creperia de médio porte, podendo precisar de um número menor gente. De maneira geral, o melhor é ter um gerente. Se o horário de trabalho for dia e noite, será necessário contratar duas equipes, mas esta medida só deve ser tomada se o faturamento da creperia for condizente.

Screenshot_1 Máquina de Crepe Suíço a Gás PRK-120G Progás
Por: R$ 659,00 à vista
ou 10x de R$ 65,90 iguais sem juros
Pagamento no Boleto: R$ 626,05 à vista

Fonte: novonegocio.com.br.

Confira outros produtos no nosso site: www.catral.com.br.
Zé Catral

Foto: Divulgação.

Ofertas válidas somente para a data da publicação. Data: 22 de maio de 2014.

Comentários [0]

A área de alimentação é um negócio interessante, que atrai uma grande quantidade de pessoas e que demanda um investimento relativamente pequeno. Por isso, montar um carrinho de cachorro-quente pode ser uma boa ideia de negócio. No entanto, mesmo com todas as funcionalidades e uma aparente simplicidade, neste negócio é preciso tomar cuidado e começar de forma simples e bem planejada sem tentar dar grandes saltos de uma única vez, indo de forma gradual no processo de crescimento empresarial.

 shutterstock_148091492

Este negócio é para você?

Antes de pensar em qualquer aspecto mais prático e técnico com relação a esta modalidade de trabalho empresarial, é preciso considerar que a delimitação inicial consiste em identificar se você possui perfil para esta área. Isto se justifica porque possuir um carrinho de cachorro-quente demanda a necessidade de estar disponível para longas jornadas de trabalho em locais muitas vezes diferentes e na maioria das situações à noite. Neste caso, é necessário pensar se você possui capacidade para ter esta carga de trabalho com suas características peculiares, além de verificar se sua família irá compreender esta questão. Além disso, outra questão importante para o perfil de quem vende cachorro-quente está relacionada com a exigência de saber lidar de maneira adequada com os clientes oferecendo um atendimento cordial, sempre de bom humor e com alegria, pois um atendente mal encarado ou sem educação espanta os clientes e leva o seu negócio ao fracasso.

Plano de negócios do carrinho de cachorro-quente

O setor gastronômico, em geral, tem seus investimentos aceitos de forma positiva impulsionando por isso o crescimento e diversificação da economia informal no país. Por esta demanda entrar no ramo da alimentação por meio da aquisição de um carrinho de cachorro-quente, pode ser um passo interessante e que significará quem sabe, o primeiro passo para a abertura de um restaurante no futuro. No entanto, assim como qualquer atividade a ser iniciada de forma profissional é preciso que seja considerada de maneira anterior todos os aspectos relacionados com a prática profissional a ser executada. Para isso, é preciso inicialmente verificar o carrinho mais adequado ao momento e capacidade de investimento de cada um o qual além de um tamanho bom deve permitir adaptações para o anúncio e venda do cachorro quente.

Depois é preciso delimitar o ponto de venda que será usado o qual deve ser escolhido considerando uma grande variedade de aspectos como o fluxo de pessoas no local, o tipo de pessoas que passam por ali com seu poder de compra, os horários de maior intensidade de possíveis consumidores. Além disso, é importante delimitar a presença de concorrentes na área desejada identificando, neste caso, os seus pontos fortes e fracos para então definir o diferencial no serviço a ser oferecido por você no seu carrinho de cachorro quente. Outro ponto que deve ser considerado no que diz respeito ao planejamento deste negócio consiste em buscar informações junto à Prefeitura de sua cidade sobre os documentos e pedidos necessários para conseguir fazer o seu negócio de forma legalizada e correta sem problemas com fiscalizações e averiguações dos órgãos responsáveis.

Todas estas questões devem ser pensadas integrando o chamado Plano de Negócios o qual irá delimitar não somente os aspectos práticos do negócio de carrinho de cachorro-quente como também irá auxiliar na execução de ações progressivas voltadas para o crescimento e sucesso desta prática empresarial adotada.

Normas de higiene

A montagem de um negócio como este voltado para o ramo de gastronomia deve cuidar de maneira muito rigorosa das normas de higiene, pois desta forma evita problemas que podem levar ao fechamento do seu carrinho de cachorro-quente como intoxicações, doenças e internações de quem consome o seu produto em decorrência de contaminações. Para garantir esta questão é preciso buscar informações na Vigilância Sanitária de sua cidade para conhecer de forma bem específica e detalhada as normas de higiene que devem ser seguidas como materiais limpos, higienização constante das mãos, usar alimentos de qualidade e dentro do prazo de validade, trabalhar com uma segunda pessoa para evitar a mistura de contato com alimentos e dinheiro, dentre outros.

Melhor localização para o carrinho de cachorro-quente

A partir do momento em que você possuir toda a documentação em mãos é preciso, antes mesmo de adquirir os materiais e insumos necessários, escolher o local de trabalho no qual vai atuar com o seu carrinho de cachorro-quente. A regra geral para este assunto consiste em locais movimentados e contendo grande circulação de pessoas como os próximos a escolas, casas noturnas, pontos de lotação e praças. Esta delimitação não é, no entanto, estática porque a mobilidade do carrinho de cachorro-quente permite que você mude o seu ponto por vários motivos como baixa de vendas, eventos ocorridos na cidade que levam a um maior fluxo de pessoas, dentre outros. Por isso, é de grande importância aproveitar as vantagens deste tipo de negócio e estudar a possibilidade de levar o seu negócio para grandes demandas como shows, festas, eventos esportivos, feiras.

Operação do carrinho de cachorro-quente

Após o cuidado e delimitação de todas estas questões mostradas até aqui neste artigo chega então o esperado momento de começar com efetividade a atividade em seu carrinho de cachorro-quente o qual não possui mistérios, mas exige planejamento adequado para saber a maneira de servir o produto, o horário e a necessidade ou não de mão-de-obra adicional e de turnos de trabalho.

Com relação a esta questão, uma estratégia interessante para conseguir conquistar o cliente consiste em ir até ele nos locais em que está com um produto que possua alta qualidade e sabor diferenciado sendo que neste caso a qualidade não é determinada somente por ingredientes ótimos, mas também por outros aspectos como boas condições de armazenamento dos ingredientes, bom atendimento, grande oferta de combinações para os clientes com alternativas comuns e outras mais ousadas e de bom gosto, limpeza adequada, uniformização dos funcionários. Desta forma será possível obter clientes muito satisfeitos os quais irão voltar com mais clientes, pois a propaganda de quem já consumiu e gostou do seu produto é a mais efetiva Não será nada mal ter  o melhor cachorro-quente da cidade com o seu carrinho de cachorro-quente!

Screenshot_3 Carrinho para Pastel e Hot Dog com Chapa/Guarda Sol C311 Alsa
Por: R$ 1.629,00 à vista
ou 10x de R$ 162,90 iguais sem juros
Pagamento no Boleto: R$ 1.547,55 à vista

Fonte: novonegocio.com.br.

Confira outros produtos no nosso site: www.catral.com.br.
Zé Catral

Foto: Divulgação.

Ofertas válidas somente para a data da publicação. Data: 20 de maio de 2014.

Comentários [0]

A vantagem de se montar uma pastelaria é que o produto tem ótima aceitação no mercado brasileiro, fácil de preparar, barato e de rápido consumo. As vendas são praticamente todas à vista e com alto giro. Comercializar variados tipos de sabores de pastéis, salgados diversos, sucos e refrigerantes, também é bom para aumentar a diversidade e fontes de receita do negócio.

 pastelok

Conhecer o Mercado ao montar uma pastelaria

O ideal para quem pretende montar uma pastelaria é dar uma sondada no mercado concorrente, já que ele anda acirrado, um dos negócios que cresceram bastante no Brasil foi o de fast food (alimentação rápida), portanto prestar atenção na concorrência, inovar ao oferecer um produto e serviço melhor do que o da concorrência é importante. A vantagem do negócio é que há bastante consumidores também, portanto o mercado não está saturado.

Quando dizemos concorrentes, são os diretos e indiretos, empresas que concorrem no mesmo mercado pelos mesmos clientes com produtos semelhantes / substitutos, como por exemplo: sanduicheira, pizzarias, cafeteria, restaurantes self-service / prato feito, claro, observando os hábitos de consumo dos clientes de cada região.

Localização da pastelaria

O ponto comercial mais aconselhável para montar uma pastelaria é próximo a lugares em que haja pessoas que procuram mais por este tipo de refeição, rápida, prática e barata, como empresas, centros comerciais, escritórios, escolas e feiras.

Estrutura para montar a pastelaria

A estrutura depende do tipo de negócio que você pretende montar, por exemplo, para uma pastelaria voltada a atender clientes de fast food, que é o mais comum, o estabelecimento não vai precisar contar com muitas mesas e cadeiras, já que as pessoas lancham em um prazo médio de 10 minutos, ou seja, existe uma grande rotatividade. Mas se o negócio vai atender clientes que buscam por lazer também, como um chopp no fim da tarde, a estrutura deve ser maior, contar com mais mesas, cadeiras e dependendo, ate mesmo um playground para atrair casais com filhos.

Todo negócio, inclusive ao montar uma pastelaria, é preciso ter um plano de negócio imbatível, por isso, foque nisso antes mesmo de começar o projeto e lembre-se, aprenda como montar um negócio.

Os equipamentos necessários para montar a pastelaria são basicamente:

Balcão refrigerado

Fogão

Freezer

Cilindro para massas

Batedeira industrial

Local adequado para preparar a massa

Estufa para exposição de salgadinhos

Utensílios de cozinha

Fritadeira elétrica industrial

Investimento inicial para montar uma pastelaria

Vai mudar de acordo com a estrutura da pastelaria. Mas para montar uma cozinha industrial, que e essencial para pastelaria, o empreendedor vai investir em torno de R$ 20 mil reais.

Você pode procurar uma pastelaria para venda toda equipada, assim economizará dinheiro!

Lembrando que se deve manter um capital de giro para comprar novos ingredientes e cobrir eventual prejuízo.

Pessoal para montar uma pastelaria

Vai variar com a estrutura da pastelaria. Mas para uma pastelaria simples o empreendedor vai precisar de cozinheiro, ajudante e atendente.

Embora aqui tenhamos dado uma ideia de como montar uma pastelaria, para ganhar a confiança e maior possibilidade de sucesso, o ideal é fazer um bom plano de negócios e assim se preparar para as adversidades do ambiente empresarial.

Lembre-se de fazer uma boa divulgação ao montar a pastelaria, isso será decisivo para o lançamento inicial.

Boa sorte!

Screenshot_2 Tacho para Frituras a Gás 07 litros PR-70G Progás
Por: R$ 159,00 à vista
ou 5x de R$ 31,80 iguais sem juros
Pagamento no Boleto: R$ 151,05 à vista

Fonte: novonegocio.com.br.

Confira outros produtos no nosso site: www.catral.com.br.
Zé Catral

Foto: Divulgação.

Ofertas válidas somente para a data da publicação. Data: 15 de maio de 2014.

Comentários [0]

shutterstock_6201658

Dedicação à mesa

Muitos empreendedores têm o sonho de abrir o seu próprio restaurante e poder cozinhar não só para os amigos, mas também para outras pessoas. Entretanto, o mercado é competitivo e a disputa por mão de obra pode render constantes dores de cabeça. Veja oito dicas de empreendedores para quem deseja abrir um restaurante ou gerenciar melhor o seu negócio.

Ame servir

Não existe fórmula perfeita para gerenciar um restaurante. Os desafios e problemas são diários e o importante é saber onde você quer chegar. Você deve sim se preparar para trabalhar sob pressão psicológica e financeira. Seja dinâmico, aberto a ideias e criativo. Ame comer e saiba respeitar a comida, os ingredientes e seus fornecedores. Seja aquele que se satisfaz com o sorriso do cliente.

Tenha um bom planejamento

Crie indicadores para acompanhar o desempenho de cada área e as tarefas do dia a dia. Planeje anualmente os próximos três anos e estabeleça indicadores de resultado em praticamente todos os níveis da organização. A equipe é outro tema importante. A área exige dedicação integral, é preciso treinamento e preparação.

Não se esqueça da gestão

Atuar nesse mercado não é uma tarefa fácil. É preciso lembrar que um restaurante tem 20% de trabalho ‘sexy’, como receber clientes e degustar comidas e vinhos, e 80% de trabalho ‘maratônico’, como administrar compras, custos, equipe e normas de segurança sanitária. Não se esquecendo de dedicar seu tempo, sua energia e seus pensamentos nessas duas áreas de maneira apropriada.

Construa uma relação de confiança

Mantenha a palavra com a equipe e com os clientes. Crie uma equipe de confiança e saiba delegar responsabilidades, reconheça de alguma forma quando a equipe toma decisões adequadas e dê recompensas. Tenha um controle preciso de custos e margens assim como dos processos.

Pesquise bastante

Este não é um ramo que permite aventuras. Antes de iniciar o negócio é necessário conhecer o ramo que pretende empreender, pesquisar muito sobre o mercado, os concorrentes, a região e, principalmente, ter certeza de que é exatamente este o tipo de atividade que gostaria de realizar.

Foque no gerenciamento das pessoas

Antes de tomar a decisão de abrir um restaurante, é preciso considerar que os dias e horários de trabalho são totalmente diferentes. Foque nos custos e no gerenciamento das pessoas, clientes, fornecedores e funcionários.

Pense muito bem

Administrar um restaurante é muito difícil. Dificuldade para encontrar equipe, pontos extremamente caros, margens de lucro cada vez mais reduzidas, inflação que não permite passar o aumento nos preços. Para quem tem um sonho de ter o próprio restaurante, o ideal é refletir e pensar se realmente está disposto. Não pode pensar só no lado emocional. Cozinhar bem em casa é uma coisa, mas isso é muito longe da rotina do dia a dia. Tem muito problema de gestão e financeiro.

Tenha um diferencial

Ter destaque em um mercado muito grande e segmentado é uma tarefa difícil. A qualidade do produto e do atendimento é essencial e relevante. A decoração, a música, a iluminação e o aroma que o cliente sente no restaurante. Essa experiência é importante para comunicar o que a gente faz. Os desafios com marketing, finanças e gestão de recursos humanos são recorrentes.

Conheça a concorrência

Antes de abrir um restaurante, entenda como funciona o ramo, atue um pouco nos bastidores e busque parcerias. É importante saber filtrar o que é relevante para seu negócio. Visite seus concorrentes, saiba o que outros estão fazendo e como o fazem, certamente sempre conseguirá ter ideias e referências interessantes.

Screenshot_1 Geladeira Comercial 4 Portas GREP-4P Gelopar
Por: R$ 4.189,00 à vista
ou 10x de R$ 418,90 iguais sem juros
Pagamento no Boleto: R$ 3.979,55 à vista

Fonte: exame.abril.com.br.

Confira outros produtos no nosso site: www.catral.com.br.
Zé Catral

Foto: Divulgação.

Ofertas válidas somente para a data da publicação. Data: 13 de maio de 2014.

Comentários [0]

Para ter sucesso, um café exige uma grande dose de dedicação do proprietário. Fazer um bom planejamento, contratar os profissionais certos, investir nos equipamentos e produtos adequados, tudo isso exige muito preparo. Confira a seguir as dicas da Catral para abrir um café de sucesso:

 shutterstock_132178154

Faça um curso de barista

O primeiro passo para quem pensa em entrar no ramo é entender tudo sobre café. Para poder contratar os funcionários certos, escolher os equipamentos e produtos adequados e supervisionar a qualidade dos serviço no seu estabelecimento, o profissional deve aprender quais são os passos e ingredientes para se fazer um bom café, “arte” ensinada no curso de barista. É impressionante o número de pessoas que se aventuram a abrir uma cafeteria sem saber fazer um café. Todo proprietário é obrigado a saber ir para a máquina fazer um café. Primeiro para poder ajudar em horários de pico se for preciso e, segundo, para saber cobrar o trabalho do barista.

Elabore um plano de negócios

Como em qualquer negócio, antes de abrir um café é necessário fazer um planejamento detalhado. Não existe uma fórmula única, mas é importante que o documento contenha dados como o investimento necessário para abrir o negócio incluindo ponto, reformas, decoração, equipamentos, capital de giro, funcionários, etc., projeção de faturamento, análise do mercado e da concorrência. O objetivo principal é identificar se há de fato uma oportunidade para lucrar com o negócio e evitar surpresas desagradáveis na hora de colocar a mão na massa.

Encontre o ponto ideal

Encontrar um bom ponto é absolutamente fundamental para o sucesso da empreitada. É importante que seja um local que passe muita gente. Uma cafeteria só é um bom negócio se tiver um alto volume de cafés vendidos. Para ter um bom faturamento, é preciso vender de 300 a 400 xícaras de café ao dia. O lucro na venda um café é alto. O markup é alto, mas o valor unitário é baixo, portanto é um negócio que requer volume. E, para ter volume, é preciso ter visibilidade, por isso é fundamental escolher um ponto bem localizado.

Crie um ambiente agradável

A atmosfera é tudo em um café. Fazer com que o cliente se sinta à vontade é fundamental para conquistar um público fiel. É importante investir em móveis confortáveis e iluminação adequada. Alguns empreendedores gostam de mesclar o café com uma livraria ou revistaria, por exemplo. Oferecer conexão Wi-Fi também pode ser um diferencial, mas o proprietário deve pesar os prós e contras. Tem muita gente que usa a cafeteria como escritório. Compra uma água e passa o dia ocupando uma mesa. Tem até casos de briga por tomada em alguns cafés.

Invista em um bom cardápio

Para garantir receitas adicionais, é importante incluir itens variados no cardápio, como salgados e doces. Também é interessante incluir uma opção de almoço. Pode ser uma massa ou uma quiche. Tem fornecedores que já entregam isso pronto, é só esquentar. Uma vez definido o menu, é fundamental dar uma atenção especial às fotos do cardápio. É o que vai fazer o cliente experimentar as novidades da casa.

Escolha bem os fornecedores

A qualidade dos equipamentos e da matéria prima utilizada impacta diretamente no café que será servido ao cliente. É preciso visitar os fornecedores para entender quem oferece o melhor custo-benefício, atendimento e assistência técnica. Entre os equipamentos e utensílios necessários para começar o negócio estão geladeira, microondas, liquidificador, espremedor de suco e louça, entre outros – o mix varia conforme o tamanho e perfil do negócio. Um item indispensável é a máquina de expresso, que pode ser alugada ou comprada. Utilizar um grão de boa qualidade na hora de fazer o café também é fundamental. O empreendedor pode trabalhar com o produto mais caro que quiser, porque se tiver volume, vai ter lucro.

Contrate bons profissionais

Ter um bom barista atrás do balcão é um fator decisivo para o sucesso do negócio. Além de dominar a técnica, é importante que seja uma pessoa atenciosa,  que saiba conversar com os cliente. Também é fundamental que o profissional mantenha-se atualizado e atendo as tendências do segmento. O cliente que aprecia café gosta de conversar sobre o assunto e o barista tem que estar pronto para falar.

Promova o seu café

Com tudo pronto, é hora de promover o seu café. Procure a ajuda de especialistas para criar uma marca e desenvolver a identidade visual do negócio. Realizar eventos culturais, como exposições e lançamentos de livros, é um caminho para chamar a atenção da freguesia. Outra dica é criar um cartão de fidelidade, oferecendo aos clientes recorrentes algum bônus, como um café grátis a cada dez cafés pagos.

Screenshot_1 Máquina de Café Expresso Automática ECAM23.210SR Vermelha Delonghi
Por: R$ 3.149,00 à vista
ou 10x de R$ 314,90 iguais sem juros
Pagamento no Boleto: R$ 2.991,55 à vista

Fonte: exame.abril.com.br.

Confira outros produtos no nosso site: www.catral.com.br.
Zé Catral

Foto: Divulgação.

Ofertas válidas somente para a data da publicação. Data: 8 de maio de 2014.

Comentários [0]

Erra quem aposta que a água de coco só é vendida nas praias. Diversos estabelecimentos que comercializam bebidas e lanches já têm a opção de água de coco para aqueles que não dispensam a bebida. Inclusive, alguns donos de lanchonetes, atribuem à água de coco um resultado notável e satisfatório em suas vendas desde a aquisição do produto.

 shutterstock_172808108

A principal época do ano em que água de coco é consumida é o verão e, além do sabor da bebida, as propriedades terapêuticas da água de coco também são levadas em conta, principalmente no mundo de hoje, em que as pessoas estão cada vez mais preocupadas com a boa saúde e forma.

Nas academias, bares, lanchonetes, boates e restaurantes há uma grande procura de empresas de venda de água de coco para abastecimento de suas necessidades e o empreendedor que pretende se dedicar a este tipo de negócio deve atuar justamente nestes locais, que estão carentes do produto e prometem pagar valores razoáveis para transformar um negócio simples numa grande empresa.

Logicamente o empreendedor deve estudar todos os riscos e benefícios que a venda de água de coco pode lhe proporcionar e isto é realmente o primeiro e mais importante passo para este começo de projeto. Talvez seja mais rentável para certo empreendedor investir no comércio de outro tipo de bebida, visto que há a necessidade de contatar fornecedores, principalmente no Nordeste do Brasil, o que pode se revelar uma vantagem para um empreendedor de outro ponto de vista.

Venda de água de coco – Público-alvo

O público-alvo da venda de água de coco já foi dito anteriormente, mas podemos frisar que hospitais e Spas também utilizam muita água de coco na revenda e isso é extremamente importante para que o empreendedor pense junto com um profissional de marketing nas estratégias publicitárias para chegar ao público-alvo.

Venda de água de coco – Divulgação

Dependendo da grandiosidade do negócio de venda de água de coco, podemos traçar métodos para induzir o cliente a fazer compras. De acordo com os critérios mais simples, podemos dizer que a visita de um representante comercial nas academias de ginástica, hospitais, Spas, lanchonetes, bares e quiosques são uma boa pedida para a divulgação da venda de água de coco.

O conteúdo relatado nesta mostra deve estar de acordo com as particularidades mais favoráveis que o produto tem a oferecer, as facilidades com o pagamento, a procedência do produto, as vantagens e preferências do consumidor e etc.

Além disso, o empreendedor pode ficar a vontade para estabelecer métodos de divulgação de venda de água de coco, visto que a localização do negócio é variável, assim como as preferências do público-alvo, o tamanho do negócio, investimentos e outros tipos de determinantes.

Venda de água de coco – Matéria-prima

Para conseguir cocos, o melhor que se tem a fazer é estabelecer parcerias com empresas distribuidoras de coco, principalmente no Nordeste. De lá, os melhores cocos são obtidos e por um preço ainda melhor do que em outros locais do Brasil.

Em sua empresa, o coco deverá ser rejeitado apenas para a aquisição da água de coco, o que pode ser considerado um desperdício, principalmente quando se tem ciência das táticas para aumentar os lucros de uma empresa fazendo a “reciclagem” de materiais.

Junto com a venda de água de coco, o empreendedor pode usar os cocos para a produção de outros produtos, principalmente os voltados para o mercado alimentício como na produção de doces. Tudo deve ser pensado e analisado por todos os sócios do negócio antes que haja a contratação de funcionários ou haja a legalização da venda de água de coco.

Screenshot_1 Carrinho para Água de Coco Branco CACG.1 Alsa
Por: R$ 1.199,00 à vista
ou 10x de R$ 199,90 iguais sem juros
Pagamento no Boleto: R$ 1.899,05 à vista

Fonte: novonegocio.com.br.

Confira outros produtos no nosso site: www.catral.com.br.
Zé Catral

Foto: Divulgação.

Ofertas válidas somente para a data da publicação. Data: 6 de maio de 2014.

Página 1 de 212
Busca
Mais consultados
Conheça o nosso site
Vídeos
Curta nossa Fanpage
Siga-nos no Twitter
Ofertas exclusivas por e-mail